Maior SUV da marca tem motor 2.0 turbo e produção chinesa

Antecipado pelo conceito Yuntu em abril de 2017, o novo Jeep Grand Commander finalmente torna-se realidade na China. Considerado o maior e mais espaço SUV da marca, o modelo estreia com pretensões ambiciosas e a missão de representar a FCA em um nicho mais familiar, onde já fazem sucesso rivais como Land Rover Discovery e Mercedes-Benz GLS. As apostas se concentram no visual inspirado no Grand Cherokee e na ampla oferta de espaço interno, com três fileiras de bancos que podem levar até 7 ocupantes.

Visualmente, não há grandes rupturas com o conceito Yuntu. As linhas quadradas foram mantidas, com destaque para as formas retilíneas dos faróis e dos vidros laterais. A distância entre-eixos é longa e alinhada com o gosto chinês por modelos espaçosos. 

Jeep Grand Commander for China

Na mecânica os detalhes também são escassos, mas é dado como certo o uso do motor 2.0 turbo que recentemente estreou na nova geração do Wrangler. O propulsor rende potência próxima dos 270 cv e pode vir associado a um sistema de propulsão híbrido-leve. 

Nos Estados Unidos, a opção de grande porte da Jeep no segmento será o Grand Wangoneer, a ser lançado em meados de 2020. Ainda cercado de mistérios, esse modelo terá duas opções de comprimento e preço de até US$ 140 mil nas versões de topo.

 

POR: DYOGO FAGUNDESRepórter

Fotos: Divulgação